2012

DEMOGRAFIA MÉDICA NO BRASIL

 

Projeção de Conselhos de Medicina aponta aumento da desigualdade na distribuição de médicos

A abertura de novos cursos e vagas de Medicina, ao invés de solucionar a falta localizada de médicos no Brasil, poderá acirrar a desigualdade na distribuição desses profissionais pelo território nacional e aumentar a sua concentração no setor privado. Estas são algumas das conclusões da  projeção “Concentração de Médicos no Brasil em 2020”,  elaborada em parceria pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), divulgada nesta quarta-feira (13) e que integra o estudo Demografia Médica no Brasil. Para ter acesso à integra do trabalho, clique  aqui

De acordo com o Ministério da Educação, nos próximos anos serão abertas 2.415 vagas em cursos já existentes, 800 delas no setor privado. Com a ausência de políticas públicas que ofereçam suporte à fixação dos médicos em locais onde há carência de profissionais, sobretudo no Norte e no Nordeste do país, a projeção aponta para a superconcentração de médicos em algumas áreas, como cidades de maior porte, capitais e estados das regiões Sul e Sudeste. Isso sem se considerar as novas vagas autorizadas pelo governo em 2011 e 2012.

“A ida de egressos das escolas para locais onde hoje faltam médicos fica comprometida pela falta de programas de residência e de condições de trabalho e emprego que façam com que o recém-formado encare sua fixação como um objetivo”, alertou o presidente do CFM, Roberto Luiz d’Avila.

No estudo “Demografia Médica no Brasil”, divulgado em 2011, CFM e Cremesp tomaram como referência o número de “postos de trabalho médicos ocupados” nos setores público e privado. Contabilizando-se usuários de planos de saúde e postos médicos em estabelecimentos privados se chegou à conta de 7,60 “postos disponíveis” para cada 1.000 clientes privados. Já para a população usuária do SUS a razão observada foi de 1,95.

A metodologia utilizada reforça o entendimento de que, com a manutenção do cenário atual, o aumento da população médica favorece o setor privado. Ou seja, para cada novo profissional se verifica o incremento de 1,86 “posto de trabalho médico ocupado” no setor privado, enquanto no setor público o aumento é de 1,35 posto de trabalho.

“Estamos certos de que isso desautoriza o governo federal a afirmar que novas vagas abertas irão necessariamente solucionar a falta de médicos no SUS. Não adianta abrir mais vagas sem mudar o financiamento em saúde, com maior aporte de recursos públicos e com a criação de carreira de Estado para os médicos do SUS”, ressaltou Renato Azevedo, presidente do Cremesp, um dos organizadores do estudo.

Na análise feita por CFM/Cremesp, o plano do governo de abrir mais vagas de Medicina terá efeitos colaterais imediatos. O primeiro deles é o crescimento do contingente global de médicos na próxima década sem que sejam apontadas formas concretas de combate à desigualdade no acesso, mantendo-se vazios assistenciais em zonas de difícil provimento e gerando-se elevação da densidade de médicos onde ela já é alta.

Além disso, também não se pode ignorar a qualidade da formação desses profissionais. A abertura de vagas em escolas – sem adequadas condições de funcionamento, corpo docente qualificado para atender a nova demanda e vagas de residência médica – entregará à sociedade médicos não devidamente preparados para o desafio do atendimento.

Projeção – Uma conclusão do estudo é de que a abertura de novas vagas não é necessária para que se atinja a meta considerada ideal pelo governo federal. Em 2020, mesmo sem novas vagas em cursos de Medicina, a projeção é de que existirão 455.892 médicos no Brasil. Considerando-se que em oito anos o país terá uma população de 207.143.243 pessoas, a razão será de 2,20 médicos por 1.000 habitantes. Este indicador é 0,30 médicos por mil habitantes menor do que a meta definida pelo governo (2,5/1.000) – meta, aliás, apontada por CFM/Cremesp como resultado de mera abstração, desprovida de fundamento científico.

Em oito anos, as consequências da superconcentração de médicos serão sentidas em diversos estados, capitais e municípios de médio porte. De acordo com a projeção do CFM/Cremesp, em 2020 três estados terão mais que três médicos por 1.000 habitantes: Distrito Federal (5,54), Rio de Janeiro (4,44) e São Paulo (3,31). Oito estados estarão acima do índice de 2,5 médicos por 1.000 habitantes, a meta estipulada pelo governo. Tudo isso sem a necessidade de abertura de novas vagas.

Em 2020, com ou sem novas vagas, mas num cenário de falta de políticas que garantam a  fixação de médicos, o país manterá os vazios de cobertura no Nordeste e no Norte e uma alta densidade de profissionais no Sul e no Sudeste e em alguns estados do Centro-Oeste.

Em quatro capitais, dentre aquelas selecionadas para a projeção (o estudo não projetou para todas as capitais), a concentração em 2020 será maior que 6 médicos por 1.000 habitantes: Vitória (17,85), Porto Alegre (12,19), Belo Horizonte (9,85) e Rio de Janeiro (8,77). O fenômeno atingirá até mesmo cidades de médio porte. Alguns exemplos de alta concentração serão Botucatu (11,06), Ribeirão Preto (7,21) e Campinas (6,43), as três no interior paulista, seguidas de Pelotas (RS), com 5,23, e Criciúma (SC), com taxa de  4,47 médicos por 1.000 habitantes.

Confira a íntegra do estudo (inclusive as tabelas), clicando aqui

Assessoria de Imprensa do CFM

(61) 3445-5940 / 3445-5958

 




Associação Médica Brasileira The Internacional Academy of Cytology Sociedad Latino Americana de Citopatologia
Vaga para Citotécnico em BH

O Instituto Mário Pena, em Belo Horizonte, oferece oportunidade de trabalho, em seu Laboratório de Anatomia Patológica, na função de Citotécnico.
Diretrizes para o rastreamento do câncer do colo do útero entram em consulta pública

Sócios, por favor contribuam com sugestões ou comentários para as Diretrizes Brasileiras para o Rastreamento do Câncer do Colo do Útero.
Simpósio Itinerante de Citopatologia Ginecológica Recife 2015

Banner Itinerante de Citopatologia Ginecológica Recife 2015
Aulas da Dra. Dina Mody

Aulas já estão sendo enviadas para os e-mails cadastrados no site do congresso.
Resolução CFM nº 2.074/2014

Foi publicada no dia 28/07/2014 a Resolução CFM nº 2.074/2014 após reuniões entre a SBC e o Conselho Federal de Medicina.
Prorrogada a inscrição de Temas Livres

Prorrogada a inscrição de Temas Livres para o dia 08.08. 2014. Essa será a data limite e a oportunidade de você divulgar seus trabalhos científicos no XXIII Congresso Brasileiro de Citopatologia.
Lei 13.003 de 24 de junho de 2014

Médicos do Brasil têm garantido o reajuste anual nos contratos e a possibilidade de arbitramento da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)
Inscrições nos Temas Livres no XXIII CBC - João Pessoa - PB

Encontram-se abertas até 25 de julho as inscrições dos Temas Livres do XXIII Congresso Brasileiro de Citopatologia - 2014.
XXIII Congresso Brasileiro de Citopatologia - João Pessoa - PB

Programação Preliminar já disponível. Inscrição Prorrogada até 20 de junho 2014.
XXIII Congresso Brasileiro de Citopatologia - João Pessoa - PB

Professores Internacionais Confirmados. Programação preliminar prevista para divulgação no dia 29 de maio de 2014.
Cervical Cytplogy Bethesda: Open comment invite-SBC

Revisão da Nomenclatura de Bethesda 2014
Agora é definitivo: Citotécnicos na CBO

Os citotécnicos já se encontram devidamente cadastrados na CBO. Parabéns pela conquista!
Atualizações das Portarias da QUALICITO

Encontra-se a disposição dos sócios. Documento norteador para a habilitação de Laboratório, tipo I e tipo II pela Qualificação Nacional em Citopatologia; Portarias 3388 e 176. Acesse os links.
Citotécnicos na Classificação Brasileira de Ocupações

É com muita satisfação, para nós que fazemos a atual diretoria da Sociedade Brasileira de Citopatologia, que anunciamos a inclusão dos citotécnicos na Classificação Brasileira de Ocupações (CBO) muito provavelmente em 2013 ou no mais tardar, início de 2014.
Carta ao Exmo. Ministro da Saúde Dr. Alexandre Padilha

Monitoramento Externo de Qualidade. A matéria na íntegra poderá ser acessada através da intranet.
Despacho 0216/2013 do CFM - direito de emitir laudos citopatológicos

Despacho 0216/2013 do CFM - direito de emitir laudos citopatológicos. A matéria na íntegra poderá ser acessada através da intranet.
Consolidado da Tabela CBHPM

Está disponível na intranet o consolidado da Tabela CBHPM referente aos procedimentos realizados na Citopatologia. Acesse e dê sugestões atualizadas para secretaria@citopatologia.org,br
Mensagem da diretora de defesa profissional Dra. Raquel Almeida

Informações sobre o Projeto de Lei da Regulamentação da Medicina.
Mensagem da Vice-Presidente Centro-Oeste Dra. Valéria A. N. Santos

Os sócios contam agora com o CITO NOTÍCIAS SBC onde poderão encaminhar suas contribuições e sugestões.
CITO NOTÍCIAS SBC

Informamos que a partir desse mês de março começará a circular por meio eletrônico o CITO NOTÍCIAS SBC. Você sócio, aproveite e utilize mais esse canal de informações! A Diretoria
Conselho Federal de Medicina (CFM) desenvolveu projeto CRM-Digital

O CFM desenvolveu projeto que permitirá o acesso dos médicos brasileiros a um novo modelo de cédula de identificação profissional.
Senado Federal - Dispõe sobre o exercício da medicina

SCD 268/02 - Dispõe sobre o exercício da Medicina.
Eleita a nova Diretoria para o biênio 2013-2016

A diretoria será empossada na Assembléia Geral Extraordinária(AGE) convocada para o dia 07 de dezembro de 2012, durante o evento - “Revisitando a punção aspirativa (PAAF)” e “Workshop em Punção Aspirativa (PAFF)” em Curitiba.

Associação Médica Brasileira
The Internacional Academy of Cytology
Sociedad Latino Americana de Citopatologia

Intranet


 





Home | A SBC | Diretoria | Estatuto | História | Associe-se | Citonet | Artigos Científicos | Legislação | Título de Especialista |
Notícias | Informe SBC | Eventos | Links | Fale Conosco

SBC - Rua Siqueira Campos, 43, sala 736, Copacabana, CEP:22031-901 - Rio de Janeiro/RJ, Telefone (21) 2255-7502